Parem aquele avião

O Twitter anda me fazendo mal. Essa coisa de escrever pequenas frases “sortidas” aleatórias diariamente faz com que eu tenha uma preguiça gigantesca de escrever um texto maior, mas vamos lá.

Meu winchester (eu sou muito velha) precisa ser colocado para processar os últimos dados e chegou a hora de fazer os relatórios.

Finalmente cheguei aos 31, isto é ultrapassei a barreira dos 30 e estou rumo aos 40. Tá, já disse que sou exagerada e adoro fazer um drama.

Bem, nos últimos dias aconteceram duas situações inusitadas comigo.

A primeira foi na minha festa de aniversário quando os meus convidados foram acometidos de energias negativas do lado negro da força e decidiram jogar o bolo de niver em mim. Isso mesmo, sabe aquela coisa “torta na cara”, sim! Partilho com vocês que foi no mínimo interessante comer bolo no meu cabelo, braço, entre outras partes do corpo e também ver aquela cena dantesca do merengue voando em direção às pessoas.

É impressionante como os seres humanos resolvem fazer brincadeiras de mau gosto nos meus aniversários, certa vez meus amigos organizaram uma festa surpresa para mim, até aí tudo ótimo! Mas o problema foi a forma como me convenceram a ir ao lugar onde estava armada a cena. Fizeram eu acreditar que uma das minhas amigas estava com dengue e a beira da morte…é, eu acreditei.

Ok, a vingança foi ver todo mundo limpando bolo por tudo quanto foi lado até às 5h da manhã.

cake

A segunda coisa tosca que me aconteceu essa semana foi no aeroporto segunda feira. Eu e mais três colegas do trabalho fomos para Florianópolis trabalhar num evento.

O vôo era às 06h40min da manhã, pura bucha!

Pois é, cheguei no aeroporto meio atrasada e quis tomar um suco antes de embarcar, deixei pra fazer isso dentro da sala de embarque (anta).

Disse ao meu colega que iria rapidamente comprar algo para beber (uma dose de vodka cairia bem) e deixei minha bolsa com ele, com TUDO dentro, inclusive a passagem e  celular (lei de smurff). Fui.

Como era muito cedo, meu cérebro processou o tempo de maneira equivocada e 10 minutos na verdade eram 20 minutos e foi o tempo que demorei na fila pra pegar o precioso líquido de mate com maracujá (mais anta ainda, tomar maracujá naquele estado de sono, só muito anta mesmo).

Retornei feliz e contente com meu suco até a sala de embarque, mas quando cheguei lá, fenos passavam de um lado ao outro, todos haviam sumido.

Na minha cabeça de bagre algo estava muito errado, isso deve ser uma pegadinha…não era.

Corri igual uma desesperada atrás de uma santa alma que me deixasse entrar naquele avião, me senti naqueles filmes “preciso entrar naquele avião”, “parem aquele avião”, mas quem estava lá dentro não era o homem da minha vida, era meu chefe e mais dois colegas de trabalho que certamente vão rir da minha cara eternamente ao lembrar da cena do comissário dizendo “alguém está com a bolsa de Poliana Flores?”

No fim consegui chegar a tempo na aeronave e espancar meu colega que “sumiu” com meus pertences!

Bem, chega de merengue e suco de mate com maracujá por hoje.

Parem aquele avião!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s